07 julho, 2008

Mulherzinha, perigos, minhocas na cabeça


Na sexta-feira eu encontrei a Paulinha e estava comentando com ela como eu ando muito "mulherzinha": toda amiga de maquiagens, bolsas, roupas e sapatos. Muito mesmo - a ponto de ficar passeando por blogs com dicas de produtos, batons, bases etc. e nisso perder um baita tempo (minha gripe mal-curada e virada sinusite contribuiu para esse fenômeno, já que ficar lendo com a cabeça abaixada, nem pensar!).

Paulinha riu e comentou "Mas também, minha amiga, a gente fez ciências sociais e tem mesmo um certo atraso nessa história. E não dava pra ficar usando sandalinhas franciscanas suja-dedão pra sempre, ?". Morri de rir.

E como dizia uma outra amiga minha, "contra fatos, não há argumentos". Então relaxei mais um pouco e fiquei de novo de bem com essa fase "mulherzinha".

Vai daí que estava visitando o Vida Verde e a Thais postou (no dia 30/06) sobre os produtos de higiene pessoal, linkando para uma base de dados bacana, com o grau de periculosidade de produtos de higiene e cosméticos que usamos: Skin Deep: Cosmetic Safety Database.

Eu já tinha visto referência a este site, no Síndrome de Estocolmo. E já tinha ficado preocupada. Dessa vez não foi diferente, pois dos produtos que uso cotidianamente, alguns têm fator de risco 8 (numa escala de 10)!

A bem da verdade, a grande responsável por essa minha progressiva incursão pelo mundo "mulherzinha" foi minha dermatologista. Vou contar o causo desde o começo.

Eu sempre fui muito branca e sempre tive uns rubores, especialmente quando ficava envergonhada, quando estava em lugares fechados e quando consumia álcool. Um moço lá da faculdade inclusive achava super legal essa minha característica, dizendo que "eu era a última mulher no mundo que ruborizava". Mal sabia ele que não era pudor, e sim uma predisposição à rosácea.

Já no início da gravidez eu tinha começado a ficar com a pele bem vermelha e com alguns pontos, que à primeira vista pareciam espinhas. Eu achei que era hormonal, e minha única preocupação foi a de prevenir manchas. Para isso eu usava um filtro solar, que para meu azar continha álcool e piorou o problema...Eu realmente não estava preocupada porque achava que tudo passaria depois do parto. Fora que eu não ia tomar remédios ou fazer tratamentos agressivos (como os tratamentos dermatológicos costumam ser, vamos combinar) estando grávida, ?

Quando eu já estava por volta do sexto mês de gravidez - bem no meio desse nosso inverno seco - eu tive uma irritação na perna e fui à uma dermatologista. Era só ressecamento, mas mesmo assim ela me receitou um hidratante e uma pomada à base de cortisona. Teimosa que sou, só usei o hidratante e ficou tudo bem. E mesmo eu tendo dito que iria esperar o parto para tratar o rosto, ela me receitou uns produtos. Só que para falar a verdade eu não senti a menor confiança nela e não fiz nada do que ela mandou :-)

Bom. Pari, o vermelhão (que naquela altura já estava com manchas roxas) melhorou um pouco, mas não passou. Depois dos seis meses do , quando ele já não estava em aleitamento exclusivo, resolvi consultar uma dermatologista, outra. E foi ótimo, porque ela é uma fofa e de cara me inspirou confiança.

Foi ela que diagnosticou a rosácea, que me disse que eu tinha que parar de usar sabonetes, gels, coisas que tivesse ácidos etc. Além disso, eu tinha que observar quais situações e alimentos pioravam o vermelhão (calor, frio, seco, comidas picantes, alimentos cítricos, picos hormonais...). E como eu amamentava, me deu apenas uma pomada para usar em dias alternados e, claro, protetor solar.

Curiosa, fui pesquisando sobre rosácea e fiquei meio assustada, porque não tem cura. Ninguém sabe o que detona, não há remédio realmente efetivo, embora ácido azeláico melhore um pouco (no meu caso, perdeu a eficiência e começou a dar no efeito contrário) e um antibiótico melhore um pouco (descobri quando tive otite e por coincidência o tal antibiótico foi o indicado). Descobri também que o único tratamento que parecia dar resultados mais duradouros era o homeopático.

Além do tratamento indicado pela dermatologista, comecei então o tratamento homeopático também. E veio melhorando, realmente. Mas demorou bastante - é só pensar que o já tem quase 3 anos...

Atualmente, os cuidados incluem: creme para prevenção de acne, protetor solar fator 30 (que eu alterno com um outro que também faz às vezes de base,) e creme em volta dos olhos (tá, esse não tem nada a ver com a rosácea e sim com o fato de que tenho 30 anos...); duas vezes por dia, lavo o rosto com um produto livre de sabonete e à noite uso outro creme para redução das manchas e o creme dos olhos.

Tudo isso para contar que, dos produtos que uso todo os dias, três estão listados no site. Um como risco 8, um como 6 e outro como 3.

E aí, como dois deles estão acabando, agora estou numa baita crise e já até marquei consulta com minha dermatologista. Porque estou com medo de comprar e continuar usando; mas estou com medo de parar de usar e perder o trabalho de tantos anos...

Andei olhando as alternativas, especialmente produtos orgânicos ou naturais, mas ainda não tive coragem de comprar nada.

E agora estou aqui, cheia de minhocas na cabeça e achando que realmente este mundo está muito complicado da gente viver nele.


Imagem: http://falarsobretudoemaisalgumacoisa.blogs.sapo.pt/3894.html


8 comentários:

  1. fabiana, gahahaha, eu tb uso (e vou usar até acabar) uns produtos perigosos. hehehehhe. vou tentar mudar quando acabar, mas eu sofro bastante porque tenho dermatite atópica e vivo cheia de pipocas por todo o rosto e nas dobras do corpo. um horror! ainda uso uma pomadinha de corticóide e tomo homeopatia, quando a crise é longa.
    mas, me fala, vc já viu cosmética natural? não sabonete, xampú, mas rímel, base, batom?

    eu não achei nada. lá no blog, até umas pessoas comentaram, mas quando eu perguntei sobre alguns ingredientes, me ignoraram completamente depois disso. hauahuahuha
    a única pessoa que me explicou e tal foi a sandra, da millebolleblu. mas é só higiente de crianças.

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Fabiana, parabéns pelo blog. Excelente. Vim atrás de um post sobre rosácea e acabei lendo muita coisa. Gosto dos mesmos autores que vc. Será que vc poderia me indicar o nome da homeopata com quem vc se trata? Obrigada. meu email é mar1313@terra.com.br

    ResponderExcluir
  3. Marcia, respondi no seu e-mail. Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Olá Fabiana,

    Acho que meu comentário sumiu depois de logar, mas vamos lá:

    Tenho 34 anos e sempre ruborizei com facilidade (estress, nervosismo, timidez etc), mas o rubor geralmente passava rápido, portanto pensava que era mais tímida que outras pessoas e mais inflamada e pronto, paciência.
    Porém há cerca de 30 dias comecei a usar alguns produtos para melhorar minha pele (santa ironia): protetores solares diversos (inclusive asiáticos), vitamina C tópica, tônico com alcool e fíz uma esfoliação mais severa, resultado: fiquei com apele mais avermelhelhada, vasinhos mais aparentes e algumas bolinhas vermelhas aqui e acolá...tudo indica que tenho rosácea.

    Marquei dermatologista (vou na próxima semana) e suspendi o uso de tudo e não mais saí de casa durante o dia (estou desempregada..) pois não sabia que protetor solar era menos pior pra mim.

    O que eu gostaria, se for possível:

    - Que você me passasse os dados da sua dermatologista, pois pretendo de qualquer forma procurar uma segunda opinião diagnóstica e de tratamentos para avaliar

    - E sua opinião a respeito do Protetor Solar Físico da Skinceuticals (Fusion com cor de base), já usou? Após muito pesquisar comprei ele via delivery e pretendo usar quando sair na próxima semana.

    Muito obrigada e desculpe o comentário excessivamente longo, mas é que estou angustiada com isso :(

    ResponderExcluir
  5. Esqueci de mencionar: suspendoi tudo que estava usando e atualmente estou passando no rosto somente o Fisiogel A.I e água termal, também tenho procurado comer um pouquinho melhor (mais saudável) e tomar mais água.

    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michele também estou com o mesmo problema que você e sinceramente tenho chorado e me desesperado constantemente. Em vc a vermelhidão dura o tempo todo? Será que tem períodos digo semanas ou meses que se pode ficar sem crise? Será que se eu for a uma emergência e tomar inflamatório e antialérgico ajuda um pouco?

      Obrigada

      Excluir